Menu
Domingo, 19 de Setembro de 2021
(67) 9 9645-0564


Imunização na fronteira: Governo vê redução de 63% nos casos de Covid nas 13 cidades que participam de pesquisa, em MS
A primeira parcial da vacinação em massa nas cidades fronteiriças de Mato Grosso do Sul foi divulgada pela secretaria estadual de Saúde e mostra que mais de 94 mil pessoas receberam a dose única da Janssen.
Imunização em massa levou vacina da Janssen para moradores de 13 cidades de MS — Foto: Rede Globo/Reprodução

Depois de alguns dias do início da formação do "cinturão de imunização", em 13 cidades fronteiriças de Mato Grosso do Sul, o Governo do estado divulgou que houve a redução de 63.3% nos casos confirmados de Covid, nos municípios, referente aos últimos 30 dias.

Em 10 dias de realização, período de 2 a 22 de julho, os dados apresentaram redução de casos novos confirmados nestes municípios em comparação com as demais cidades que não participaram do estudo. Ao todo, 94.215 pessoas da região de fronteira foram imunizadas com a vacina da Janssen.

De incentivos a cinturão de imunização: por que o Mato Grosso do Sul tem quase o dobro da porcentagem nacional de pessoas totalmente imunizadas contra a Covid-19

Para o secretário de estadual de Saúde, Geraldo Resende, Mato Grosso do Sul se torna exemplo para todo o país e será o primeiro estado a sair desta pandemia. “Nós conseguimos esse feito histórico. Esse processo de imunização nos 13 municípios foi extremamente importante para nós. Os municípios compõem a região de fronteira de nosso Estado e criamos esse cinturão sanitário. Acredito que é a maior conquista que nós tivemos até o momento, neste enfrentamento à Covid-19”.

Na avaliação de Geraldo Resende, os resultados deste cinturão sanitário diminuirão sensivelmente os riscos de novos casos e já traz impacto positivo na situação epidemiológica no estado. “Essa barreira vai reduzir a circulação de variantes e contribuir para a redução de outros índices epidemiológico como a taxa de ocupação de leitos hospitalares e óbitos”.

Incentivo financeiro, vacinação na fronteira, comunicação entre municípios e logística dinâmica. Segundo especialistas e o governo do estado, essas medidas podem ter feito com que o Mato Grosso do Sul tenha alcançado índices positivos.

Com as 165 mil doses da Janssen, vacina contra Covid em dose única, que o estado recebeu no final de junho, foi criada a estratégia de formação de um "cinturão de imunização" em 13 cidades do estado que fazem fronteira com Paraguai e Bolívia.

A iniciativa faz parte de estudo do Vebra Covid-19 (Vaccine Effectiveness in Brazil Against COVID-19), que tem como objetivo principal pesquisar a efetividade e impacto da vacinação em massa na região de fronteira, que alcançará pessoas entre 18 a 50 anos na região.

Conforme os dados preliminares da SES, em três dias, mais de 40% do total de doses foram aplicadas. "Isso significa 54 mil pessoas imunizadas nestas 13 cidades de fronteira. Esse de fato é uma conquista, todos os municípios ganharam", comemora Resende.

O "cinturão de imunização" é comandado pelo médico infectologista e pesquisador da Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz), Júlio Croda. O estudo, além da Fiocruz, envolve também a Universidade Federal de Mato Grosso do Sul (UFMS), Stanford University, Yale University, Instituto de Salude Global de Barcelona, Universidade da Flórida e outras instituições científicas.

Um dos objetivos do estudo é avaliar a eficácia da vacina perante as variantes da Covid. De acordo com o último boletim epidemiológico divulgado pela SES, Mato Grosso do Sul possui 14 variantes do coronavírus em circulação no estado.